­

Em Alagoa Nova-PB assalto e tentativa de roubo de moto quase acaba em morte

Redação Alagoa Nova Já | 28.7.16 | 0 comentários

Agora há pouco em Alagoa Nova, Município do Brejo paraibano, por volta  por volta das 19h:30min desse dia (28/07), um marceneiro de 29 anos, que não quis se identificar, ele sofreu um assalto e uma tentativa de roubo de moto, que por pouco não resultou em morte.

Segundo o marceneiro ele estaria vindo do centro, conduzindo uma motocicleta, pertencente a um de seus irmãos e estaria indo com destino a casa de outro irmão que fica no loteamento Mario Lima, quando percebeu que logo após passar em frente a Companhia de Polícia de Alagoa Nova, que fica no mesmo prédio do Fórum local, começou a ser perseguido por dois marginais, que estavam em uma outra moto, sendo uma aparentemente uma Honda de cor vermelha, sem a "rabeta", ambos estavam com os rostos cobertos por camisas e trajavam um roupas escuras e o outro roupas mais claras, de descrição física, segundo a vítima, um era magro e alto e outro mais gordo e de estatura mediana. 

Contou o marceneiro que tentou fugir da perseguição em disparada, porém, ao entrar numa rua sem calçamento a moto derrapou e ele caiu, tendo sido abordado pelos assaltantes, que bateram em seu rosto e sacaram dos revolveres que portavam,  tomaram pertences dos bolsos da vítima, a exemplo de um aparelho celular. 

Em relato J.B.S. disse ter ouvido quando um assaltante perguntou: "eu mato? E o outro respondeu: Não! Dá só umas coronhadas". O que de fato aconteceu. Mesmo sangrando e atordoado, enquanto os assaltantes tentavam levantar a moto, ele fugiu do local. A moto não foi levada porque a vítima levou a chave e saiu gritando que estava sendo assaltado.

A vítima procurou o Hospital Sofia de Castro, onde foi atendido e liberado. Em seguida procurou a Companhia de Polícia que o orientou a ligar para o 190 e providenciar um Boletim de Ocorrência em Campina Grande, porém a vítima preferiu deixar para amanhã dia 29, na Delegacia de Polícia Civil de Alagoa Nova. A PM não diligenciou. E a vítima não soube precisar para onde poderiam ter se evadidos. 


Silvanna Ramos


Editorias: , , , ,

0 comentários