­

Redação Alagoa Nova Já | 28.5.16 | 0 comentários

Dois acusados de realizar um arrastão numa pizzaria e num quiosque em Arara, no Curimataú, se envolveram num acidente de trânsito e acabaram capturados. Além dos estabelecimentos comerciais, quem estava na rua foi alvo da dupla.

O CRIME
O arrastão aconteceu quinta-feira (26/05), por volta das 23h00. Os acusados estavam numa moto de cor azul e usavam um revólver, além de uma espingarda. Foram roubados celulares, relógios e dinheiro. Segundo informações de populares os assaltantes fugiram no sentido Remígio.

O ACIDENTE
Durante a madrugada da sexta-feira (27) o SAMU foi acionado para socorrer um ferido em acidente na PB-105, que dá acesso a Remígio. Ele foi encaminhado para o Hospital do Trauma em Campina Grande e se tratava de um adolescente de 17 anos morador de Alagoa Nova. Após ser atendido, o menor foi liberado.

No mesmo dia, já por volta das 07h00, o SAMU foi acionado novamente para socorrer um homem que estava caído dentro do matagal próximo ao local onde o adolescente foi encontrado na madrugada. Ao lado deste segundo ferido foram encontrados munições de espingarda calibre “12”, vários celulares e relógios. Ele foi conduzido para um hospital em Remígio e devido a gravidade, transferido para Campina Grande.

O DESFECHO
Vítimas dos assaltos reconheceram o segundo acidentado como um dos responsáveis pelos roubos.
Diante dos fatos ele recebeu “voz de prisão” e ficou sob a custódia da polícia militar. Enquanto o acusado era atendido no Trauma, a polícia militar diligenciou em busca de apreender o outro acusado, o menor L.M. que tinha sido liberado e conseguiu capturá-lo. Porém no Trauma, o acusado conhecido como Mazinho foi a óbito devido a gravidade dos ferimentos.

UM DOS ACUSADOS É PRIMO DE "BACURI"
A polícia descobriu que um dos acusados, justamente o Mazinho, morador do Bairro Ulisses Guimarães em Alagoa Nova, e que veio a falecer, cumpriu medida socioeducativa no Lar do Garoto, porque na época foi provado que ele participou na tortura e morte do vigilante Bruno, que estava em serviço do Matadouro Público. Fato ocorrido em Abril de 2013.

E curiosamente, Mazinho é primo de “Bacuri”, morto recentemente em confronto com a Polícia Civil também em Alagoa Nova. Ele, inclusive, postou nas redes sociais uma mensagem "in memorian" para o primo morto, em Abril desse ano.


Silvanna Ramos, com informações da Sétima Regional e do Portal Renato Diniz

Editorias: , , , ,

0 comentários