­

Diretor de cadeia acusado de agressão em Alagoa Nova envia Nota a Imprensa

Redação Alagoa Nova Já | 16.11.15 | 0 comentários




 Acusado de ter agredido verbalmente e fisicamente dois Técnicos Administrativos, funcionários da Escola Estadual Professor Cardoso, na última quarta-feira, dia 11, por volta das 18h:30min, dentro da referida escola,o diretor da cadeia pública local e também professor, Jailson Pereira, envia nota de esclarecimento a imprensa. Leia  a nota na integra.




NOTA:


“Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las”.( Voltaire  filósofo iluminista francês do sec.XVIII)



Aninha Silva e Jeferson Barbosa, meus comprimentos,


As oligarquias ainda comandam e criam seus discípulos que reproduzem a arrogância e prepotência de quem quer ter direitos atropelando os direitos dos demais. Os prestadores de serviço são dignos e exercem sua função com presteza. O fato de não terem sido aprovados ainda em concurso publico não dá o direto a ninguém de criticá-los com palavras frias e deprimentes.


 Compreendo perfeitamente, Dona Genira Pereira da Costa, que a senhora foi agredida, mas não por mim: a senhora foi agredida pela sua arrogância, pela sua prepotência, pela sua falta de educação e de respeito ao próximo. A senhora está sendo agredida pela sua própria vida que a todo o momento mostra que lutar pelos direitos em um mundo democrático é caluniar, injuriar pessoas e desrespeitar seus superiores no exercício da função, querendo fazer com que o direito constitucional tenha apenas uma direção que determina e impulsiona a seu bel. prazer. Isso é vergonhoso e não correto. A senhora e seu comparsa são representantes inconscientes do grande processo de alienação, que lhes corroem como um câncer, afetando diretamente as pessoas que os cercam, transmitido pelo amargor debochado dos vossos olhares.


Alagoa Nova, Paraíba, Brasil, esta senhora planeja fazer comigo e com minha família o que fez com o jovem Joseilton Cláudio da Silva, que atende pelo apelido de Doda, pessoa simples e humilde da comunidade carente de nossa cidade, acusado por Vossa Senhoria de estupro, forjando situações e testemunhas, utilizando esse mesmo estilo teatral que hoje repercute nas mídias como um todo (realmente digno de um Oscar) para defender esse direito que a constituição previu “exclusivamente” para ela. Realmente, a senhora conseguiu acusar o rapaz que também foi encarcerado e passou dias, semanas, meses jurando inocência as seus companheiros de cela, sofrimento. Digo isso porque acompanhei de perto juntamente com os agentes que prestam serviço na unidade prisional de nossa cidade.


 Após um longo período, o jovem foi absolvido de suas acusações e conseguiu a liberdade, sendo seu processo arquivado por falta de consistência de provas, mas o seu teatro perverso conseguiu provocar danos irreparáveis para a vida desse cidadão. Hoje o rapaz vive perambulando pelas ruas da cidade, com problemas mentais, pois não aguentou tamanha injustiça e covardia de sua parte. 


Agora entendo perfeitamente quando o poeta e cantor Zé Ramalho diz em sua musica, Canção Animais, no trecho “Tem loucos (Lobos) que se olham no espelho e se acham normais”. Especifico no caso em questão não é mesmo?


A meu Deus, aos meus familiares, aos meus amigos, aos meus alunos e seus familiares do Violeta Costa, aos meus ex-alunos do Cursinho Memória Ativa, Monsenhor Borges, Santa Luzia, Rosa Mística e Professor Cardoso, aos meus amigos professores, aos meus amigos de mais de duas décadas na área de segurança e até mesmo os senhores, meus juízes ferozes e algozes, que já me condenam e crucificam sem ao menos lavarem as próprias mãos e sem saberem a verdadeira versão dos fatos venho, através deste comunicado, informar sobre a verdade sem artifícios e nem “teatrismo”. 


Estive, sim, naquela conceituada instituição como cidadão e um pai zeloso e preocupado buscando explicações a cerca de uma possível falsificação de documentos envolvendo o nome da minha filha. Sabendo que esses documentos estavam na secretaria da escola, já que a mesma havia participado como monitora do Programa Mais Educação durante a gestão anterior e conhecendo parcialmente o perfil do senhor Robson Elias, jovem “inteligente” e habilidoso em informática, tendo vários cursos na área e atual responsável pelo laboratório de informática da escola acima mencionada, além de ter como colega de trabalho no mesmo horário a senhora Genira Pereira, pessoa que tem total acesso aos documentos da secretaria e tendo consciência das divergências políticas e pessoais existentes entre estes e minha família fui a busca de respostas, para não fazer julgamentos precipitados.


Após a conversa com os dois, tive a certeza de que eles possivelmente tinham algum envolvimento no caso, pois ficaram imediatamente nervosos e passaram a me tratar rispidamente, gritando, utilizando termos pejorativos a minha pessoa, querendo envolver aquela situação particular a função que represento. Voltei a dizer em voz alta “Estou aqui como pai, preocupado e que acompanha o desenvolvimento dos seus filhos”, e os funcionários continuaram aos berros. Só ai passei a responder a altura os seus insultos, dando inicio a uma discussão em voz alta que foi presenciado por alguns funcionários que chegavam para iniciar o seu expediente. 


Ao perceber a chegada dos funcionários e de alguns alunos, a senhora Genira intensificou os seus gritos tentando mais uma fez me desestabilizar emocionalmente, já que agora teria uma plateia para o seu show de péssimo gosto. Neste momento, deixei o ambiente escolar e segui a minha rotina.


Volto dizer a você, senhora Genira, não vai fazer comigo e com minha família o que fez com o jovem Doda. Realmente, você conseguiu acusar o rapaz que foi preso e passou mais de um ano sofrendo. Sofrimento este que acompanhei de perto juntamente com os agentes que prestam serviço na Cadeia Pública conduzindo-o para as audiências, além de tentar minimizar com acompanhamento médico especializado na cidade de João Pessoa, como constam documentos em nossos arquivos a disposição de qualquer um que tenha qualificação na área afim.  


Doda foi absolvido de suas acusações, conseguiu a liberdade sendo seu processo arquivado por falta de consistências das provas, mas você com seu teatro perverso conseguiu provocar danos irreparáveis para a vida desse cidadão que hoje  vive perambulando pelas ruas da cidade com problemas mentais que são irreversíveis, pois não aguentou tamanha covardia de sua parte.


 Já a senhora saiu dessa situação ilesa juntamente com os que testemunharam a seu favor, pois acreditaram em suas mentiras, como ficou provado judicialmente. Agora não! A senhora e seu companheiro irão responder por todos os seus atos, administrativamente, criminalmente e penalmente. Assim como todos aqueles que atacaram e continuam atacando a mim e minha família nas redes sociais, e impressa como um todo. 


Adianto ainda que a conduta de um homem é construída com exemplos ao longo de sua historia e não pode ser destruída por inverdades, que estão sendo apuradas pelos setores competentes, pois já tomei todas as medidas neste sentido.  


Sem mais para o momento, deixo os meus agradecimentos a todos os familiares e amigos da sociedade alagoa-novense que estiveram e estão comigo nesse momento, e peço humildemente que confiem em mim, pois jamais vou decepcioná-los, pois fazendo isso estaria indo contra a minha trajetória de vida nesta terra que tanto amo.


Deixo aberto a minha vida profissional e criminal para ser investigada a qualquer autoridade competente que por ventura venha a precisar.


A vocês, Aninha Silva e Jeferson Barbosa, sei como é difícil fazer um jornalismo sério em nosso país, mas acredito em vocês, verdadeiros desbravadores na reconstrução do conhecimento e impulsionadores incansáveis da sobrevivência eterna da chama da verdade. 


Deixo-lhes agora o forte abraço dizendo-lhes que em futuro bem próximo estarei neste conceituado programa sendo entrevistado por vocês para falarmos não só dessas calúnias que ora me atingem, mas também de cultura, arte, história e filosofia, temas que realmente são relevantes para nossa sociedade. 


Um beijo e um abraço fraterno do fundo do meu coração.Não poderia concluir este comunicado que iniciei com o filosofo Voltarie que defende a liberdade de expressão respeitosa sem esta citação que impulsiona para vida.



“... Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. Aprende que, há mais dos seus filhos em você do que você supunha. Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel e calunioso. Aprende que com a mesma severidade com que julga você será em algum momento condenado. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores...”(William Shakespeare.)




Jailson Pereira de Ataíde.


Editorias: , , ,

0 comentários