­

DENÚNCIA: Eleição em Alagoa Nova teve farta distribuição de camisas vermelhas e promessa de R$ 50,00

Redação Alagoa Nova Já | 20.10.14 | 0 comentários

Em relatório encaminhado ao Tribunal Regional Eleitoral, o juiz Eslú Eloy Filho, designado pela Corte para acompanhar as eleições em Alagoa Nova, aponta uma série de irregularidades ocorridas durante o primeiro turno naquele município. A principal delas foi a aglomeração de eleitores com camisas vermelhas, que são as cores do PMDB. "Fiquei chocado com o grande número de pessoas vestindo camisas vermelhas de malha, todas padronizadas, circulando na sua maioria em grupos de mais de três indivíduos, causando assim um forte impacto visual e subliminar de propaganda eleitoral".

O mais grave de tudo, segundo ele, foi o fato de o juiz local não ter tomado nenhuma providência, embora tivesse acatado a sugestão de editar uma medida no sentido de proibir a votação ou aglomeração de pessoas que estivessem vestindo camisas padronizadas nas cores vermelha ou amarela. "A situação estava ficando fora do controle e somente foi amenizada depois da proibição de votação com camisa padronizada e da chegada de uma equipe da Polícia Federal", relata o juiz Eslú Eloy, para quem a Polícia Militar "mostrou-se confusa para atuar no auxílio ao cumprimento das ordens emanadas pela Justiça Eleitoral".

Segundo o magistrado, duas advogadas compareçeram ao cartório com a denúncia de que haveria a distribuição de camisas vermelhas padronizadas, associadas à promessa de recebimento de dinheiro em troca de votos. Os próprios eleitores que receberam as camisas confirmaram a informação. Eles disseram na presença do juiz que o material havia sido distribuído em troca de votos em candidato de certo partido, inclusive com a promessa que receberiam, cada um, a quantia de R$ 50,00 pelo sufrágio, bastando para tanto apresentarem o comprovante de votação.

No seu relatório, o juiz Eslú Eloy lamenta a conduta do seu colega, que "revelou-se omisso e até desequilibrado em certos momentos, chegando inclusive ao ponto de perder a postura e partir para agressões verbais". Para o corregedor do TRE, Tércio Chaves, as condutas supostamente praticadas pelo juiz da 13ª Zona Eleitoral, "denotam o comprometimento da sua isenção e imparcialidade, porquanto tendente a não tomar qualquer providência". Ele determinou a notificação do magistardo para no prazo de cinco dias prestar as informações.

Em Alagoa Nova, o candidato do PMDB ao governo do Estado, Vital do Rêgo, foi o segundo mais votado. Ele obteve 29,08% dos votos. Em primeiro lugar ficou Cássio Cunha Lima (PSDB), com 55,42% dos votos. O governador Ricardo Coutinho foi o terceiro mais votado, com 15,06%.


Lenilson Guedes

Editorias: ,

0 comentários