­

Veja como foi o confronto direto entre os candidatos a governador em debate

Redação Alagoa Nova Já | 20.8.14 | 0 comentários



Candidatos questionaram os adversários sobre vários temas, a exemplo da saúde, educação e segurança.
 
O quarto bloco do debate da TV Arapuan, na noite desta terça-feira (20), possibilitou a realização de perguntas com temas livres entre os candidatos ao Governo do Estado. Confira como foi:

Cássio - Tárcio

O primeiro candidato sorteado foi o senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Ele perguntou ao candidato Tárcio Teixeira (Psol) sobre qual seria a sua política pública para a área de saneamento básico do Estado. Em resposta, Tárcio assegurou que não irá privatizar a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), prometeu a valorização dos servidores da entidade, aparelhagem e a realização de concurso público para a categoria.

Na réplica, Cássio prometeu retornar, caso seja eleito, com o programa “Boa Nova”, fortalecendo as ações de saneamento básico e a instalação de medidas de abastecimento de água, pavimentação e drenagem nos 223 municípios da Paraíba. 

Na réplica, Tárcio Teixeira alertou o candidato tucano para a dificuldade do paraibano, principalmente, do cidadão do semiárido de ter acesso à água potável.

Tárcio – Ricardo 

O segundo sorteado foi Tárcio Teixeira, que questionou o governador e candidato à reeleição Ricardo Coutinho (PSB) sobre as queixas dos servidores públicos relativas à falta de diálogo do chefe do Executivo estadual com os servidores e o congelamento de gratificações de várias categorias. 

Em resposta, Ricardo disse que foi o governador que mais dialogou com o povo na história da Paraíba. O socialista alegou que criou o Orçamento Democrático Estadual (ODE), que possibilitou o contato com mais de 140 mil pessoas e disse que governar o Estado não é cuidar apenas de uma “folha de pagamento”, mas beneficiar o agricultor, a saúde, a educação, entre outras áreas.

Na réplica, Tárcio acusou o governador “desrespeitar” os servidores ao falar que não governava para uma “folha de pagamento”. Segundo o membro do Psol, é preciso que o chefe do Executivo receba os servidores, dialogue, implante o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), o piso salarial do magistério, a Lei do Subsídio dos servidores do Fisco, entre outras medidas.

Na tréplica, Ricardo afirmou que o mundo não gira em torno do candidato do Psol. Ele afirmou que o funcionalismo estadual não são as pessoas que giram em torno de Tárcio Teixeira, mas dos professores que, “hoje, recebem melhor e das escolas que estão mais bem equipadas”.

Vital do Rêgo – Major Fábio 

Na sequência, o candidato Vital do Rêgo (PMDB) questionou Major Fábio (Pros) sobre o “governo promovido pelos antigos aliados, Ricardo Coutinho e Cássio Cunha Lima (PSDB), nos últimos quase quatro anos”. 

Major Fábio respondeu Vital com outra pergunta, mas endereçada ao senador Cássio. Ele quis saber sobre como teria sido a sua reação do tucano quanto à demissão de milhares de servidores “no atual governo”. “Eu queria saber porque Ricardo foi criado por Cássio, é o criador e a criatura”, disse. 

Vital disse que se comprometia a fazer diferente de Ricardo e Cássio, assegurando um programa de Estado, um plano integrado de desenvolvimento que comprometerá a gestão com o bem estar das futuras gerações. “Vamos trazer a Paraíba ao caminho do desenvolvimento perdido”, concluiu. 

Major Fábio - Cássio

Em seguida, o candidato Major Fábio questionou o senador Cássio Cunha Lima sobre qual seria a sua política “revolucionária” para a educação estadual, caso consiga exercer um novo mandato.

Em resposta, Cássio relembrou conquistas de antigas gestões suas, a exemplo da implantação do PCCR do magistério; da instalação do ensino médio nos 223 municípios da Paraíba. Ele também assegurou que vai investir no melhoramento dos educandários e realização de concurso público.

Na réplica, Major Fábio criticou as brigas políticas entre candidatos e destacou a importância da valorização dos jovens, através do fortalecimento da política educacional e de incentivo ao desporto. Segundo eles, uma parcela mínima de crianças e adolescentes sabem interpretar um texto e as regras básicas de matemática. “A nossa juventude clama por políticas públicas eficazes”, disse.

Ricardo - Vital

A última pergunta do quarto bloco foi realizada pelo governador Ricardo Coutinho ao senador candidato Vital do Rego. O socialista quis saber a opinião do peemedebista sobre a gestão do Governo do Estado, que no ano de 2006, deixou de aplicar o mínimo valor constitucional na área de saúde, mesmo com determinação judicial do Ministério Público Federal.

Em resposta, Vitalzinho lamentou o fato, mas também criticou a atual gestão de “terceirizar” a saúde pública do Estado. Vital prometeu valorizar o servidor da saúde e abrir novas unidades de saúde. “O PMDB tem compromisso com a saúde, pois, foi o partido que construiu os hospitais de Emergência e Trauma de João Pessoa e de Campina Grande”, disse.

Na réplica, Ricardo Coutinho relembrou a fila da morte na Paraíba e o problema dos bebês cardiopatas em situação de risco. Ele afirmou que o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, melhorou o atendimento, ampliou a quantidade de atendimento e de cirurgias e disse que a unidade não é terceirizada, mas segue o exemplo adotado em governos do PT e do próprio PMDB, através da gestão pactuada.

Na tréplica, Vital disse que vai criar um comitê gestor para acompanhar as ações de saúde do Estado, prometeu construir um hospital pediátrico no lugar onde hoje fica a Granja Santana – residência oficial do governador -, e transformar a maternidade Arlinda Marques em um hospital da mulher.


Ângelo Medeiros
WSCOM Online

Editorias:

0 comentários