­

Chuva de granizo assusta Alagoa Nova, Matinhas e Massaranduba

Redação Alagoa Nova Já | 18.2.14 | 0 comentários

Vinte e quatro horas depois de fortes chuvas acompanhadas por raios, trovões, ventania e até granizo, os moradores de Alagoa Nova, Matinhas e Massaranduba, (Municípios do Brejo e Agreste da Paraíba), ainda estão assustados pelo acontecido, coisa nunca antes vista na história desses Municípios. É um fenômeno atípico nestas regiões.

Era por volta das 16h30min quando uma chuva torrencial caia sobre setenta Municípios da Paraíba. Em muitos deles, houve falta de energia elétrica, casas foram destelhadas ou caíram, antenas e caixas d’agua literalmente voaram de cima das casas, alagamentos em casas e escolas causaram pânico, árvores centenárias sucumbiram à força dos ventos. Apesar disso, teria sido algo quase que normal, se acaso não tivesse, pelo menos em Alagoa Nova, não houvesse caído granizo.

Rapidamente fotos e vídeos feitos por populares circulavam nas redes sócias, chamando a atenção de muita gente, inclusive de pesquisadores. A meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), Marle Bandeira, explica que o Agreste paraibano está sob condições para ocorrência de chuvas de granizo e isso tem relação com o vórtice ciclônico que passou por outras cidades da mesma região, nessa segunda-feira. 


A última vez que houve chuva de granizo na Paraíba foi em novembro de 2013, na cidade de Juazeirinho, pelas mesmas razões meteorológicas. 

Hoje,(18) os moradores de Alagoa Nova, Matinhas e Massaranduba, contabilizaram os prejuízos e começaram a fazer os consertos necessários em casas e em estabelecimentos comerciais. 

Definitivamente o dia 17 de Fevereiro de 2014, será de fato conhecido como "O dia que o Agreste e o Brejo pisaram em gelo".


Outros registros de chuvas

Em  Gurinhém e no Distrito de Boqueirão, o teto de dois postos de combustíveis foram destruídos, casas foram destelhadas, muros caíram e árvores foram derrubadas pela força dos ventos.
No Cariri paraibano, as chuvas trouxeram esperança para os agricultores de Taperoá, cidade localizada a 250 km de João Pessoa. Por volta das 19h40, segundo os moradores, foram registradas as primeiras ocorrências de chuvas. Algumas ruas do centro da cidade ficaram alagadas e a população comemorou. Taperoá está na lista das cidades que tiveram a situação de emergência decretada em virtude da seca.

As fortes chuvas também ocorreram no município de Remígio, no Agreste. A intensidade das águas elevou o nível da Lagoa Parque Remígio, situada no centro da cidade, e o local ficou temporariamente intransitável.


Em João Pessoa, a noite de segunda também foi de muita chuva. Algumas avenidas ficaram alagadas e em alguns trechos o tráfego foi interrompido. Segundo a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) da Capital, o trânsito ficou lento em alguns pontos, mas sem congestionamento. Não foi registrado acidente.


Silvanna Ramos com Portal Correio

Editorias:

0 comentários