­

Agricultores realizarão em Alagoa Nova Oficina de Formação de Lideranças

Redação | 9.9.13 | 0 comentários

Na próxima terça-feira, 10 de setembro, à partir das 8h, na comunidade São Tomé II, zona rural de Alagoa Nova, acontecerá a Oficina de Formação de Lideranças dos Bancos de Sementes Comunitários da Borborema.

O evento é promovido pela Comissão de Sementes do Polo da Borborema, uma articulação de 14 sindicatos de trabalhadores rurais dos municípios da região da Borborema, na Paraíba.

A oficina conta com o apoio do Programa P1+2 (Uma Terra e Duas Águas), implementado pela Organização Não Governamental AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e com o patrocínio da Petrobrás.

Na ocasião será comemorado o aniversário de 39 anos do banco de sementes comunitário de São Tomé II, o mais antigo da região da Borborema.

Na oficina vão estar presentes cerca de 60 agricultores e agricultoras lideranças dos bancos de sementes comunitários da região da Borborema.

A programação, que segue até as 14h30, tratará de temas como a importância das sementes crioulas, as “sementes da paixão”, como são conhecidas, e a importância dos Bancos de Sementes para conservação do patrimônio genético na Borborema, além da articulação da rede de bancos de sementes existente no território.

“A oficina surgiu da necessidade de realizar um momento de formação com lideranças dos bancos para fazer uma reflexão sobre a realidade deles na região de atuação do Polo da Borborema. Estamos em um momento importante com colheitas favoráveis na região, então foi avaliada a necessidade de iniciar um novo monitoramento para levantar o número de famílias envolvidas, a diversidade de sementes armazenadas e os estoques. Esse evento será uma oportunidade de motivar as comunidades e suas lideranças para retomar estas discussões”, explica Emanoel Dias, assessor técnico da AS-PTA, que acompanha a comissão de sementes do Polo.

Comemoração - O evento será encerrado com uma confraternização em comemoração ao aniversário do Banco de Sementes Comunitário de São Tomé II.

Fundado em 10 de agosto de 1974, o banco foi o primeiro na região. “Antigamente as famílias agricultoras tinham muita dificuldade de acesso às sementes no momento de plantar, ficando dependentes dos programas de distribuição dos governos, que nem sempre chegavam no momento certo e traziam sementes não adaptadas à sua região, então esse banco marcou o início de todo um trabalho de organização e articulação de dos agricultores pela garantia das suas sementes na Borborema” afirma Emanoel Dias.

Sementes da Paixão - As ‘Sementes da Paixão’, foi como ficaram conhecidas na Paraíba as sementes locais melhoradas e conservadas pelas famílias agricultoras ao longo de séculos, adaptadas às suas condições de solo e clima, às suas práticas de manejo e preferências culturais.

Elas constituem um patrimônio da biodiversidade das famílias agricultoras da região e elemento essencial para a reprodução da agricultura camponesa e a segurança alimentar da população, além de representarem a segurança de que os agricultores terão sempre as suas sementes no momento certo de plantar.

Os bancos de sementes comunitários e familiares constituem uma importante estratégia para a conservação e preservação dessas sementes. Atualmente a rede de bancos sementes da região da Borborema conta com 60 bancos, que envolvem e mobilizam cerca de 4.000 famílias agricultoras. Estes bancos armazenam mais de 40 variedades de sementes alimentícias, forrageiras e de hortaliças.

Fonte Paraíba Online
Imagem: Reprodução Internet

Editorias:

0 comentários