­

Educadores afirmam que Projeto de Lei que obriga o uso de detector de metais em escolas da PB é uma medida repressiva

Redação | 8.4.13 | 0 comentários

A determinação contida no projeto de lei nº 1.358/2013, de autoria do deputado Ivaldo Moraes (PMDB), que pretende tornar obrigatória a instalação de detector de metais em escolas na Paraíba, foi recebida com críticas por educadores.

Segundo o historiador Jadson Vieira, “uma proposta destas só mostra o quanto as inversões de valores ainda são promovidas nas escolas, os senhores deputados leitores assíduos da LDB querem transformar escolas em presídios”, destacou.

Adriana Duarte, socióloga e educadora, alerta que essa é uma medida repressiva. “A violência mais grave é a que ocorre nas relações sociais entre os estudantes, professores e funcionários da escola. A falta de respeito com o próximo, a homofobia e o preconceito transformaram a escola em um local que reproduz essa violência, entretanto, temos que ter mais projetos educativos, se este projeto de lei for aprovado não vai mudar nada na vida dos estudantes, simplesmente vai transformar a escola em um presídio”, ressaltou.

A assessoria do deputado afirma que os detectores têm por finalidade prevenir a sociedade, “a utilização eficiente dos mesmos pode inclusive salvar vidas, já que o impedimento do acesso de pessoas armadas nas escolas não apenas evita a prática de crimes no interior das mesmas, mas também identifica aqueles alunos mal intencionados que praticam o porte ilegal de armas”.

Em 2011, o governador Ricardo Coutinho (PSB) vetou o projeto de lei que determinava a implantação de detectores de metais em todas as escolas públicas estaduais da Paraíba. O projeto era de autoria do deputado estadual Janduhy Carneiro (PPS).

Redação Alagoa Nova Já
Imagem: Reprodução Internet

Editorias: ,

0 comentários